Facilitação de diálogos e comunicação

 

 

Através das relações humanas nos construímos enquanto individualidade. Com elas, conseguimos enxergar manifestações da nossa inconsciência, do que vive dentro de nós e que ainda não conseguimos abarcar de forma consciente. Nesse exercício, de distinção entre o que vive em nossa inconsciência e do que é do outro, ganhamos autoconsciência e fortalecemos nosso senso de identidade. É a partir dessa perspectiva ampliada sobre os desafios das relações interpessoais que considero, esta, uma potente ferramenta de autodesenvolvimento. 

Usando técnicas de coaching e olhar fenomenológico, aliados aos princípios da mediação de conflitos, a ideia é ampliar pontos de vista que favoreçam o diálogo. Além da abordagem  tradicional entre duas partes, desenvolvi uma abordagem de mediação que começa com apenas uma delas, aquela que, verdadeiramente, deseja uma mudança na relação. Isto amplia a visão daqueles que acham que precisam, 

fundamentalmente, da concordância da outra parte para começar um diálogo. A boa comunicação começa a partir de um estado de abertura de uma das partes, tornando-a convite para a construção de novos diálogos com a outra parte envolvida.