Corpo

Voltar para o arquivo

Corpo é o instrumento físico para alcançarmos a espiritualidade

O corpo é o instrumento físico que permite a vida na Terra. Portanto, é através dele que podemos alcançar a espiritualidade. As nomenclaturas corpo, alma e espírito dividem, racionalmente, o indivisível. Na verdade, somos tudo isso ao mesmo tempo e essa suposta divisão nos afasta do essencial.

Nosso corpo guarda memórias que são ativadas instantaneamente quando nos relacionamos com o mundo ou sentimos alguma emoção. Antes que possamos elaborar um pensamento sobre algo que capturamos pelos órgãos dos sentidos, o corpo responde a este estímulo em milésimos de segundos e o sistema nervoso autônomo reage infinitamente mais rápido do que nossa tomada de consciência, gerando estado de alerta, alterando secreções gástricas, batimentos cardíacos, ritmo respiratório, liberando neurotransmissores, hormônios e alterando nossa vitalidade.

Esta relação entre corpo e mente hoje é assunto de renomados centros de pesquisa no mundo. Esses locais entendem de Body-Mind Medicine, Medicina do Corpo e Mente, como uma possibilidade de cura para diversas doenças. Trata-se de uma medicina mais integrativa. 

Existe um amplo movimento chamado Lifestyle Medicine, em Harvard, onde é possível estudar como um estilo de vida saudável, cultivado desde a infância, tem impacto sobre a vida futura de um indivíduo, promovendo saúde e longevidade. Alimentação, sono e meditação são alguns dos fatores que comprovadamente têm efeitos benéficos para o organismo.

Não sou médica, mas admiradora desta profissão, tanto que quase entrei neste universo achando que a medicina me ajudaria a entender melhor a parte física da nossa totalidade. No entanto, hoje entendo que minha medicina é a da alma, contribuindo para a “cura” através de processos de autoconhecimento

O alimento que ingerimos, o ar que respiramos e, principalmente, as emoções que colhemos de nossas relações humanas impactam nossas células, órgãos e, consequentemente, na manifestação, ou não, de doenças

O ser humano não é resultado apenas da luta entre hereditariedade e ambiente. Carregamos uma força vital, pertencente à nossa individualidade, que determina o grau de superação diante destes dois aspectos. Isso nos oferece uma grande margem de escolhas diante de nosso corpo. Saímos do papel passivo, daquele que apenas recebe informações, por vezes fatídicas, dos médicos, para corresponsáveis pela nossa saúde, podendo influenciar no próprio processo de cura

Segundo Luiza Lameirão, carregamos uma qualidade que nos torna humanos: a intencionalidade. Trata-se da nossa capacidade de direcionar a própria vida com autonomia, pois vive em nós a centelha divina, que é capaz de sobrepor a todos estes fatores. 

Nosso desafio enquanto humanos é acessar esta força através do autoconhecimento. As palavras de Sócrates escritas na entrada do Oráculo de Delfos nos mostram com clareza este caminho

“Conhece-te a Ti mesmo e conhecerás todo o universo e os deuses, porque se o que procuras não achares primeiro dentro de ti mesmo, não acharás em lugar algum.”

Camila Capel Bio

Camila Capel

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.