Meditação

Voltar para o arquivo

Meditação é um caminho para a sabedoria e autoconhecimento

Cresci numa casa com uma mãe professora de Yoga, meditando e levando uma filosofia de vida diferente do que via em outros lares. Apesar disso, nunca tive curiosidade de entender este universo “zen” repleto de incensos e com posturas esquisitas. 

Somente quando fiquei mais velha a meditação passou a ser um hábito pessoal. Mais tarde, tive o privilégio de receber os ensinamentos diretos do Dr. Jou Eel Jia e, assim, me tornar instrutora de Meditação Ch’an e Lien Chi. Ali aprendi sobre todas as alterações na fisiologia e, consequentemente, na saúde física e mental do praticante. Mais do que isso, ganhei ferramentas de autoconhecimento e desenvolvimento profundo sobre espiritualidade, caminho do qual serei eternamente aprendiz.

Concebida pelo Buda Shakyamuni, na Índia, e levada à China no século VI d.C. pelo monge Bodhidharma, a essência da meditação Ch’an se baseia na atenção e concentração e tem como objetivo alcançar a sabedoria que reside em nossa essência e passar a agir sob sua influência, libertando-se da ignorância e do sofrimento. Em razão disso, devemos treinar por meio dos princípios: meditação, moralidade e sabedoria

Contemplar a respiração em perfeita paz é o que chamamos de meditação. Cessar o mal é denominado como moralidade. Sobrepujar o mal para compreender a verdade chamamos de sabedoria

Para os budistas, o mal é representado pela raiva, ganância e ignorância ou mesmo pela combinação de todos eles. Buda ensinou que o cultivo da moralidade nos liberta de imperfeições, tais como a ganância e a raiva; a meditação conduz à paz; e a sabedoria permite que o aprendizado se converta em benefícios.

Também aprendi sobre Mindfulness and Compassion com os embasamentos científicos do Body-Mind Medicine e do Harvard LifeStyle Medicine. Também utilizo o olhar fenomenológico como forma de meditação e trago elementos das Constelações Sistêmicas. Estas são algumas ferramentas que me ajudam a conduzir exercícios meditativos e a convidar aqueles que ainda não estão familiarizados com este universo, sendo uma porta de entrada para o caminho da disciplina, exigida na verdadeira prática da meditação.

Por ironia do destino, atualmente finalizando uma formação em Hatha Yoga e Vinyasa , mergulhando de cabeça nessa filosofia milenar e buscando fortalecer meu corpo para as práticas de meditação mais profundas. Também procuro ser mais “zen” a cada dia. Agora, são as minhas filhas que riem de mim em posturas esquisitas… Acho que compreendo melhor o que minha mãe fazia. Entendi que meditar não é uma técnica, mas uma filosofia de vida e um caminho para a libertação.

Entretanto, se alguém me perguntar como começar a meditar, usaria as palavras da minha mãe no dia em que eu pedi que ela me ensinasse. Vinha adiando a pergunta por um bom tempo porque esperava uma longa aula, com conceitos e elevadas lições espirituais para as quais eu ainda não estava preparada. Estávamos na cozinha, entre o fogão e a pia, e pensei que depois da pergunta nos sentaríamos em zafus (aquela almofada de meditação) num ambiente calmo para ela me explicar toda a teoria. Foi quando ela, no seu jeito direto de ser, disse: “Não faça nada! Apenas sente e contemple todos os pensamentos, sentimentos e emoções que vierem; responda a todos respirando. Pronto! Você já estará meditando.” E me ofereceu uma xícara de café.

O caminho meditativo é semelhante à subida em uma montanha: trata-se de uma jornada individual e de solitude, mas posso te oferecer uma xícara de café e ajudá-lo a chegar à base. A partir dali você se tornará o responsável pela sua própria escalada.

Camila Capel Bio

Camila Capel

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.